terça-feira, fevereiro 10, 2009

Uma espécie de jornalismo

Título: Pedro Proença frustrado

Conteúdo: "Um sentimento de 'enorme frustração'. Terá sido isto que Pedro Proença sentiu ao ver as imagens do clássico, sobretudo na análise ao lance entre Yebda e Lisandro, do qual resultou a grande penalidade, que deu o empate ao FC Porto. Caso o árbitro tenha constatado que decidiu de forma errada, o seu estado de espírito não pode ser outro, como aqui explicam Duarte Gomes, Olegário Benquerença e Bruno Paixão três árbitros internacionais, condição que também tem o lisboeta."

Não é preciso entrar no campo da discussão de lances para definir estas passagens desta peça como absolutamente ridículas.

master kodro

7 comentários:

Red_Devil disse...

Lamentável.

É o branqueamento daquilo que se passou, e o assumir que o erro de Pedro Proença não foi propositado. Coitadinho, está de rastos, assume o Record (sem ter qualquer prova ou declaração.)

Pois eu acho que ele deve estar muito bem, tranquilamente a escolher a cor dos calções de banho para a próxima viagem ao brasil.

Corrupto.

Red_Devil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João disse...

O Record está a criar um novo tipo de jornalismo, o "jornalismo adivinhatório". Sempre na vanguarda, Alexandre!

jose disse...

Red_Devil, seguindo o teu "raciocínio" (?) o árbitro que deu 3 pontos ao benfica roubando o Braga na Luz deve ter passado 1 mês de férias nas Seychelles. LOL

mago disse...

Esta peça do Record teve o dom de me relembrar o porquê de já fazer meses que não abro as páginas online dos desportivos (e provavelmente anos as páginas físicas dos mesmos).

Vale tudo, mesmo. Excepto jornalismo.

jamsilva disse...

pq será que mandam os homens para o brasil? Podiam variar um bocadinho ... ajudava a variar o discurso

rearviewmirror disse...

Tenho um azar do carago, por ter ido ao Brasil o ano passado e a viagem de avião ter sido facturada na minha conta, e não na conta do FCP. Sortudo do CALHEIROS, é preciso ter galo!!