sexta-feira, fevereiro 13, 2009

Cantinho do Vitória - Descalabro à Cajuda

Nacional 3 x 0 Vitória Resultado justíssimo, números incluídos. O Nacional dominou completamente a partida remetendo os vitorianos à defesa até marcar. Depois aplicou contra-ataques venenosos com categoria, ensinando ao adversário como se faz quando se quer defender miseravelmente um pobre 0x0. Mais um grande jogo de Nené, com direito a bis, o décimo sétimo e o décimo oitavo golos desta época do ponta-de-lança brasileiro.

Receita Cajuda O treinador do Vitória estava satisfeito com a produção do Vitória até sofrer o primeiro, aparentemente. Mas com a sua reconhecida capacidade de reacção, só mexeu na equipa depois de sofrer o segundo. Para que se perceba a gravidade da questão, não sei qual foi a melhor oportunidade de golo do Vitória em toda a partida: se um remate disparatado de Assis (o primeiro do Vitória por volta da meia-hora); se um dos dois remates disparatados de João Alves (entrou para ver um amarelo na primeira intervenção); se o pior remate do Vitória da autoria de Marquinho. Foi mau, muito mau, mas Cajuda estava a gostar e só mexeu depois de sofrer o segundo.

Jogadores à deriva Andrezinho mostrou a sua coerência; é tão mau à esquerda como era à direita, com a agravante de não conseguir atacar, agora; Nuno Assis fez uma péssima exibição, incapaz de organizar contra-ataques frente a uma equipa toda balanceada para o ataque; Luis Filipe fez um centro (passou cinco metros por cima da baliza); Marquinho é o menor dos culpados, pois tem que jogar a ponta-de-lança com Santana Carlos no banco (não sei qual é a desculpa, agora); Gregory é lento (partiu à frente e chegou atrás de Nené no segundo); Lionn não tem culpa (mas tem o perfil preferido de Cajuda, é jovem, não é português, não foi formado no Vitória, portanto tem lugar e oportunidades. Este jogo deu para demonstrar que Desmarets faz muita falta à equipa, mesmo não estando no melhor momento de forma .

Em grande Estou condenado a repeti-lo até à exaustão: Manuel Machado e Nené. Bruno Amaro, Mateus (merecia um golito e bem o procurou no fim da partida para desespero de Miguel Fidalgo) e Ruben Micael (quarto golo da época para o jovem, 22 anos, madeirense) também merecem um destaque.

master kodro

2 comentários:

editor69 disse...

AHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHHAHA!

CoCoNuTs disse...

Nao vi o jogo....a minha liga Record e que erriqueçe com mais dois golos do NENE!!