quinta-feira, novembro 20, 2008

Brasil 6 x Portugal 2

Quando se decidem fazer jogos particulares com equipas deste nível - em vez dos tradicionais Luxemburgos e Kuwaits - estas coisas acontecem. Mas não há como disfarçar o desastre. Desde 1955 que Portugal não sofria seis golos numa partida. Os desaires sucedem-se de forma preocupante. A prestação defensiva foi patética, com exibições catastróficas de Bruno Alves e Paulo Ferreira. Ronaldo não existiu. Aqui e ali, salvaram-se Deco e Simão. Porém, este jogo e esta exibição foram estupidamente penosos.

katanec

35 comentários:

luissm disse...

Pergunta séria

Quando e em que condições é que Carlos Queiroz poderia ou deveria ser demitido?

Gabriel disse...

que pesadelo de exibição... falta de motivação, falta de vontade, falta de tudo...

P.S. Onde tava o auto assumido melhor jogador do mundo?

Fredy disse...

o melhor, o 2º melhor e o 3º..nem com os 3 melhroes do mundo conseguimos ganhar.. lol

Yazalde74 disse...

"Quando se decidem fazer jogos particulares com equipas deste nível"

Sim, como com Scolari, quando contra este mesmo adversário ganhámos 2 a 1 e 2 a 0.

Voltámos ao antigamente, a sofrer 6 golos, a ficar 4 jogos sem ganhar... Mas com o brasileiro burro é que estávamos mal...

Pedro disse...

LOL

Mr. Shankly disse...

Estou com o Yazalde. O problema não é ter adversários de nível, é não termos uma selecção de nível.
Por outro lado, o que é normal é que os sul americanos façam jogos particulares na Europa. Mas o importante não é a equipa, é o cachet.

Littbarski disse...

Outra pergunta séria: o que esteve o Quim a fazer na baliza?

cparis disse...

Confesso-te que ando com tanto trabalho que nem vi o jogo. Pior. Nem sabia a que horas era o jogo. Podias tentar explicar quais foram para ti os motivos da derrota?
Pessoalmente, do que li, não percebi a convocatória, nem o 11 que entrou em campo.

luis disse...

Katanec: Desculpa? Explica rapidamente a primeira frase, por favor. Estou a soro.

JoniBeGod disse...

E o burro sou EU?
6 putas mais nada :)

master kodro disse...

Eu só vi a primeira parte e a meias com outras coisas e fiquei a perguntar-me porque é que a ganhar 1x0 e com um avançado móvel, era o Brasil que conseguia jogar sistematicamente em contra-ataque. Queiroz está a falhar completamente na gestão da atitude geral da equipa, mesmo quando consegue pô-la a jogar como quer. O que é pior ainda.

Concordo com a tua pergunta, Gabriel. Outra vez. Yazalde, já estivemos 4 jogos seguidos sem ganhar com o seleccionador que precedeu Queiroz. Luissm, no fim da qualificação, se não a conseguir, como é óbvio.

Grupo Desportivo Gafanha D`Aquem disse...

Afinal parece que não faltavam avançados na lista, faltaram foi defesas em campo

Peyroteo disse...

Pois, a frase inicial teria algum sentido se Scolari não tivesse defrontado duas vezes o Brasil em jogos particulares e vencido ambos. E parece-me que o 1º jogo de Queirós na selecção foi um particular contra as Ilhas Faroé que o seleccionador justificou com as semelhanças do futebol daquela selecção com o da Dinamarca, que seria o adversário seguinte.
Os particulares valem o que valem. Mas de certeza que este jogo não serviu para melhorar o ânimo para os próximos jogos. Felizmente, o próximo é só em Março.

Zé Luís disse...

Faltou, mais uma vez, um meio-campo sabedor do que deveria fazer em vez de querer exibir-se de forma tonta. Nenhum defendia, Tiago perdeu mais uma oportunidade e Queiroz os papéis. Pepe não devia jogar após paragem prolongada mas Bruno Alves é que foi batido nos dois primeiros golos.
Com esta capacidade de observação, até o golo de Simão o tira do habitual anonimato na selecção.
Deco jogou "para" o Brasil vê-lo e Quim sofreu golos que nem o Ricardo quando se queixou de que os dinamarqueses metiam a bola de qualquer maneira. Foi um 4-1 em Copenhaga, daqueles resultados que muitos esquecem facilmente...

Mário Rui Oliveira disse...

e outro é que era burro !

LC disse...

E a culpa é sempre do treinador... mas que meninos são estes?
Aqueles que falharam qualificações para europeus e mundiais sub21 e sub20, que quando conseguiram lá chegar fizeram figuras ridículas, que foram a uns jogos olímpicos passear e trazer uma imagem vergonhosa, estão à espera de que?
O Deco? ontem parecia que andava a fazer um favor a alguém... só o cruzamento do 1º golo e o passe ao Simão não chega, o trabalho dele é pautar o jogo da selecção.
Pepe? quem o defende que pense melhor, já não é a 1ª nem a 2ªº vez que tem o mesmo erro de querer jogar em antecipação sem saber como o fazer, como comentei naquela vez dos 50 para escolher 11, nem em 100 o Pepe lá cabia.

petruzzi disse...

é incrível como o pepe, que não passa de um central vulgar, passa incólume às críticas gerais.

Ricardo disse...

Littbarski,

"Outra pergunta séria: o que esteve o Quim a fazer na baliza?"

Do jogo de ontem, foi esta a pergunta que te ocorreu? De facto, o Benfica povoa todos os imaginários.

Ricardo disse...

Zé Luís,

"Quim sofreu golos que nem o Ricardo quando se queixou de que os dinamarqueses metiam a bola de qualquer maneira."

Isto é sério? Tirando o terceiro golo, não vejo quais as culpas de Quim. Mas para ti as críticas ao Bruno Alves (que "só" foi culpado nos 1º, 2º, 4º e 6º golos, coisa pouca, portanto) não fazem sentido. Continuas um humorista de primeira água, não haja dúvidas.

Ricardo disse...

A ideia de jogar sem pivot defensivo foi daquelas coisas que lembra a pouca gente. Percebe-se a ideia de enfrentar o Brasil com jogadores capazes de contenção e circulação de bola mas é algo suicida achar que um trinco é dispensável quando nessa zona iam aparecendo Anderson, Elano, Kaka ou Robinho. Não esteve nessa opção a razão de todo o descalabro, mas ajudou bastante.

Neste jogo houve algo de estranho que deve fazer pensar Queiroz: até aos 6, 7 minutos, Portugal instalou-se no meio-campo brasileiro, trocou a bola com qualidade, criou linhas de passe e fez um golo. Tudo parecia prever um bom jogo da Selecção até que... Danny marcou. A partir daí, alguém desligou os chips por controlo remoto das cabeças dos jogadores e eles começaram a pensar noutra coisa. A forma como faltou entreajuda, como abriram os sectores e deixaram espaços entre eles é, de facto, uma questão difícil de justificar. Para ajudar, estiverem as exibições absolutamente horríveis de Pepe, Alves, Ferreira, Tiago e Ronaldo.

Queiroz tem 4 meses e tal para fazer disto uma equipa. Não é impossível mas é melhor detectar os erros quanto antes e procurar soluções.

Pierrot le Fou disse...

Com toda a clareza, tivemos ontem um jogo para testar a mediocridade da experimental Selecção portuguesa (Ainda temos que ouvir coisas como: "Suécia é que interessa"..)
No novo ambiente "à la Queiroz", que não transparece algum positivismo ou ambição, só podemos ter andado para trás no tempo.

Aonde estava a defesa ontem?
Aonde estava o guarda-redes?
E o ataque?
E o espirito de equipa?
e o resto?
Grande mundial! Vai ser lindo... se for.

Para aqueles que não gostaram do Scolari, apreciem agora o técnico-modelo português de fabrico robusto, numa versão inalterável bem à antiga!

Abraço,

Pierrot le fou

Littbarski disse...

"Do jogo de ontem, foi esta a pergunta que te ocorreu? De facto, o Benfica povoa todos os imaginários."

Ricardo, o Benfica perdeu 5-0, mas foi na Liga Intercalar. Ontem, quem jogou foi a selecção. Se não passasses tanto tempo a imaginar que todos passam o tempo todo a imaginar o que tu muito bem entenderes, talvez te ocorresse que é possível considerar que sofrer 6 golos, com responsabilidades em pelos menos 2 deles (3º e 6º), e fazer uma única defesa, para os pés do Fabiano e para o 4º do Brasil, é tão catastrófico como a exibição catastrófica do Paulo Ferreira, do Pepe e do Bruno Alves. Aliás, o Bruno Alves, como tu fizeste questão de afirmar, "foi culpado nos 1º, 2º, 4º e 6º golos, coisa pouca, portanto" e, obviamente, não ocupa o imaginário de ninguém.

Hugo disse...

Certamente não devemos ter visto os golos pela mesma ordem. Pelo menos no 1° e 2° golos a culpa é do Pepe. No 1° perde uma bola que tinha aparentemente controlada e depois deixa-se bater em velocidade pelo Robinho. No 2° deixou o Fabiano receber a bola de costas para a baliza, rodar e rematar, tudo isto no espaço de 1 metro... Portanto a culpa é mesmo de quem?

pitons na boca disse...

Oi?
O Quim tem responsabilidades no 6º golo? Como é que é essa?

david disse...

"Grande mundial! Vai ser lindo... se for."

Lindo vais ser com toda a certeza, mas sem Portugal também tenho toda a certeza que vai ser.

O Quim? Já cá faltava a estupidez do costume... no 2º com um remate daqueles a 5 ou 6 metros qualquer GR comia, a defesa para a frente é de outros remate à queima roupa, até o felicito pelos excelentes reflexos, a defesa é que dormiu e não afastou a bola de seguida... o 6º golo, uma marrada do imperador com o Bruno Alves a marcar o ar é de bradar aos céus atribuir culpas ao Quim... Deus queira que nenhum jogador do Benfica volte à selecção, é um desejo meu desde que passou a ser uma selecção multinacional. Congoleses? Brasileiros? Haja paciência.

katanec disse...

Caro luissm, eu diria no final da fase da qualificação, se tiver falhado o objectivo. Despedir Queirós agora seria absurdo.

Caro luis e outros que se indignaram/surpreenderam com a minha primeira frase: não há aqui nenhum propósito subversivo nem sub-reptício. Disse o que a frase contém: quando defrontamos equipas poderosas como o Brasil, no campo deles, é natural que percamos (embora os números sejam ridículos, como referi).

Não estava a fazer uma comparação com Scolari (que ganhou e bem ao Brasil, como teve resultados maus com equipas mais fracas), mas com uma política da federação, que é a de marcar particulares com equipas quase amadoras para depois dizermos (técnicos incluídos) que não perdemos há não sei quantos jogos.

Isto é que é um teste e o resultado foi mau. A frase queria dizer isso: quando se arrisca a marcar jogos difíceis, às vezes perde-se. Mas prefiro assim do que vangloriar-me de ter ganho ao Luxemburgo.

Um abraço a todos!

James disse...

- Bruno Alves responsável pelo descalabro defensivo? E o Pepe, responsável directo por pelo menos 3 golos?

- Tiago, precisando de confiança, a médio-defensivo, contra a selecção que tem vários nº 10 de qualidade?

- Ainda querem o Paulo Ferreira a lateral-esquerdo?

- Pergunta, repararam como os jogadores portugueses não entendem o futebol e seus conceitos? A equipa não sabia fazer triangulações, os jogadores não sabiam se posicionar e movimentar, estavam perdidos em campo. O jogador português acha que sair driblando todos que aparecem na frente é a melhor forma de se ganhar uma partida. Enquanto não mudarmos isso, não vamos longe.

- Falam do Queiroz e ele realmente cometeu erros estúpidos, mas a Selecção jogou exactamente como jogava com Scolari por lá. O modelo de jogo, a forma de se postar em campo e de trabalhar com e sem a bola é exactamente a mesma da era Scolari. Vais mesmo quebrar com isso ou não Queiroz?

- Como benfiquista, tenho de fazer uma pergunta: quando vamos achar um guarda-redes de verdade para a Selecção? É que nem o Ricardo nem o bQuim têm nível para isto. Tivéssemos um guarda-redes bom, simplesmente bom, e não tínhamos sofrido 3 dos 6 golos, e vóltaríamos com um resultado ruim, mas aceitável.

- Tirem a braçadeira ao Cristiano Ronaldo! Façam-no ver que ele tem de mostrar mais pela Selecção que o que tem feito! Dêem a braçadeira a alguém que dê o tudo por tudo, que tenha raça, que sinta Portugal e faça tudo para elevar a nossa nação!!!

Cumps,

Littbarski disse...

Hugo, quem disse que a culpa do 1º, 2º, 4º e 6º golos era do Bruno Alves foi o ricardo. Eu também acho que o principal responsável pelo primeiro golo foi o Pepe, que perdeu a bola de forma infantil para o Robinho.

Pitons, no 6º golo, o Bruno Alves é quem falha a marcação ao Adriano. Mas vê onde a bola entra. Num cruzamento, o guarda-redes tem duas hipóteses: ou sai ou fica na baliza. Hesitar e ficar a meio costuma dar (e deu) mau resultado.

David, inteligente é achar que quem não pensa como nós é estúpido. Eu também felicito o Quim pelos excelentes reflexos, não só nesse, mas em todos os golos!

Zé Luís disse...

"Tirando o terceiro golo, não vejo quais as culpas de Quim".

Já agora, Ricardo, que tal disfarçar que não tem culpa alguma por estar a contar com o cruzamento?

O 4º golo é um certo "chouriço", mas entra porque ao contrário do 3º golo, o Quim tem um ligeiro reflexo (condicionado, decerto) para defender o poste e, daí, posiciona-se mal e sofre um golo evitável da linha lateral da área e por uma bola que não sobrevoou o guarda-redes. Logo, é um problema de posição porque dali não é possível sofrer um golo a não ser em bola bombeada que sobrevoe o guarda-redes.

Mas esse problema posicional foi denunciado pela dúvida instalada pelo golo precedente em que deu o poste a um jogador que praticamente chutou da linha de fundo. Quim fez uma inflexão para a esquerda e quando deu por ela a bola passou-lhe à frente do nariz.

Isto não é "inglês técnico" de um curso tirado a um domingo. São coisas básicas num guarda-redes e dois golos que não se podem sofrer das posições de onde a bola foi chutada.

Mas para ti as críticas ao Bruno Alves (que "só" foi culpado nos 1º, 2º, 4º e 6º golos).

Bruno Alves é culpado como os outros no descalabro, mas decerto não nos 1º e 2º golos que são obra da tremeliquice de Pepe - que eu acho que não devia ter jogado (está escrito em cima).

Quanto ao resto, parece estarmos de acordo na generalidade dos "menos competentes em campo", mas muita coisa nos separa. Por exemplo, eu não vivo obcecado por ninguém e tu pareces ter sempre o fantasma do FC Porto a perseguir-te.

Isto para resumir que não me rala nada um resultado que era uma derrocada anunciada.

Esta goleada teve todos os condimentos necessários para acontecer e não foi surpresa nenhuma nem é um cataclismo que inviabilize um melhor futuro.

pitons na boca disse...

Littbarski,

para sequer colocares a hipótese de um guarda-redes sair a um cruzamento daqueles, só posso dar um conselho (para não cair na tentação de ser indelicado): vê, revê e vê mais uma vez o golo.
Onde o Adriano cabeceia a bola e em que condições consegue um guarda-redes alguma vez chegar lá a tempo.

O Quim não hesitou, apenas ficou na baliza porque era onde devia ficar, nunca um GR deve sair a um cruzamento daqueles (porque até nem é até assim tão fraco como isso) que cai na zona do penalty. Depois, repara na força com que a bola sai da cabeça do Adriano e onde vai colocada.

E fico-me por aqui, porque só vê quem quer. Eu não obrigo.

Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Littbarski disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Littbarski disse...

Pitons, vê a última repetição deste resumo. Quem parece ter colocado a hipótese de sair ao cruzamento foi o Quim. Caso contrário não teria dado um passo à frente e dois atrás para, ainda assim, ser apanhado adiantado, no momento do cabeceamento do Adriano. E por isso viu a bola passar-lhe por cima e entrar praticamente no meio da baliza.

Não há razões para indelicadezas nem para ressentimentos. Eu aceito que seja possível ter interpretações diferentes do mesmo lance. Pelos vistos, tu achas que que há só duas formas de ver o futebol: a tua e a errada... Junta-te ao david.

PS - Peço desculpa por só ter conseguido publicar o meu comentário à terceira, mas estava com problemas na minha conta do Google.

pitons na boca disse...

Curioso como alguém consegue ver "um passo à frente e dois atrás" naquela repetição. Se dissesses um atrás, aí ainda conseguia concordar contigo, mas isso não implica que o que eu escrevi seja mentira.

É realmente como eu disse no outro comentário: vê quem quer.
E em relação a este vídeo, nem toda a gente tem esse poder de ver para além do que a imagem mostra. Ou pelo menos eu não vejo a parte em que o Quim ainda não aparece. Certamente problema do meu computador, mas vou ver se o meto a arranjar... talvez aumentar o tamanho do monitor, que se calhar anda a cortar os cantos da imagem.

Sem mais comentários.

nm disse...

Eu cá prefiro ganhar sempre, nem que seja com o Luxemburgo, do que perder, ainda para mais enfardando seis, mesmo que seja com o Brasil, a quem ganhámos nos dois últimos jogos, ainda que um em Portugal e outro em Londres. Para mim, até podia ter sido no Burkina Faso. Esse discurso faz lembrar um pouco o discurso do "Eh pá, perdemos em casa com a Dinamarca, mas a jogar assim vamos longe" (atenção, não é uma citação directa). O problema é que o "jogar assim" acabou bem rápido.