segunda-feira, outubro 13, 2008

Pequeno e mal disfarçado

1. Foi um jogo à Scolari. Sem tirar nem pôr. Risco zero a atacar e uma fé inabalável nos bons ofícios da virgem no sentido de não sofrermos um golo de ressalto numa bola parada (algo que pode sempre acontecer a qualquer momento, arriscando no ataque ou não). Foi um ponto importante na qualificação (mais porque não foram 3 para a Suécia, do que por ter sido 1 para nós) mas foi um retrocesso na afirmação da selecção como uma das melhores do mundo.

2. Não me recordo de tamanha falta de respeito para com um jogador, com a certeza de que a anterior foi com ele também. Quaresma entrou aos 65 minutos. Na primeira vez que tocou na bola, seguia pela direita e tentou um cruzamento/remate que passou perto da baliza. Foi uma má opção disseram os comentadores. Seguiram para as "indicações insistentes" de Queiroz para Quaresma ajudar a defender (imagino, os laterais suecos fartaram-se de atacar, principalmente dois minutos de Quaresma entrar) e um desejo de boa sorte para o seleccionador, garantindo-lhe uma medalha se o conseguisse, no meio de risos. Aos 83 minutos (18 minutos depois de entrar Quaresma) e depois de admitirem que Nani fez um jogo muito abaixo das suas possibilidades (83 minutos depois de entrar em campo) e que Ronaldo está longe da sua melhor forma (83 minutos depois de estar em campo), quando Danny se preparava para entrar há um comentador que avança que se calhar Quaresma era capaz de ser a melhor opção para sair.

3. Claro que não viram o passe que isolou Ronaldo na esquerda, por cima de dois adversários, claro que não viram a excelente abertura para Bosingwa que ficou sozinho pela direita, claro que não viram a jogada em que passou por dois adversários e deixou a bola jogável no centro do terreno onde havia espaço, claro que não viram o passe que Paulo Ferreira fez para as suas costas para fora, claro que não viram o passe de contra-ataque de Ronaldo dois metros para as suas costas obrigando-o a recuar para receber, claro que não viram o passe de Ronaldo atrasado e para as suas costas que o deixou fora-de-jogo porque devia ter sido feito 3 segundos antes. Claro que não viram os toques curtos com os companheiros. Mas viram o cartão amarelo (talvez por estar a ajudar a defender). E como é óbvio, quando em contra-ataque, depois de receber a bola de Danny, enganou o defesa e rematou, os comentadores voltaram a falar numa opção errada de Quaresma.

4. Desde que Quaresma entrou, aos 65 minutos de um jogo que teve 90, teve um papel preponderante em 3 dos 4 lances ofensivos que Portugal criou, arriscando o remate em dois deles. Mas não chega. Continua a não chegar. Tem que fazer em 25 minutos mais do que os outros em 90, mesmo que os outros sejam os melhores do mundo.

Agora dou razão completa ao que Francisco José Viegas escreveu em Dezembro de 2006. Eu que achava que era exagero quando o citei na altura, agora volto a citá-lo sem reservas, acrescentando, ainda, que talvez seja involuntário (já só escrevo, porque já não o sinto):

"É normal. Sabe-se, agora, lendo os jornais, que Quares­ma ressuscitou – mesmo mui­to antes de ter fenecido. Os idólatras nacionais, muito ocupados a inventarem estre­las fabricadas em dois jogos, nutriam por Quaresma uma antipatia que rondava o pe­queno e mal disfarçado ra­cismo – murmuravam contra o seu feitio, porque, no caso de Quaresma, que é cigano, ele tinha mais a provar do que os outros. Que fosse pre­to, seria ainda absolvido, mas havia o feitio, esse peca­do; nada como lançar a des­confiança sobre o número sete mais talentoso a jogar no futebol português. Nunca vi tamanha ginástica para encontrar defeitos em Ricardo Quaresma".

master kodro

26 comentários:

Zé Luís disse...

Tambem registei isso, embora raramente consiga estar atento (ou com som audível) para escutar o que dizem na tv.

Registei tudo isso, mk, o que, tal como nos jogos transmitidos da Liga portuguesa, passar na rtp, na tvi ou na sic é a mesma merda.

Formataram-se assim e que desse modo se fodam.

É uma vergonha o nível de comentários técnicos e do simples relato dos acontecimentos.

Quando Quaresma ia entrar, estava na cara que a opção Queiroz era seguir o registo do M.U.: Ronaldo a ponta-de-lança, sairia H. Almeida.

Deve ter sido por isso que, depois, partiram para o "partir".

Eu também achei que o 0-0 foi "o empate" desejado no tal "o jogo" (para não perder).

Como podíamos ter levado 4 na 1ª arte, não fosse o calhordas do Elmander falhar como nunca (sem alguma vez ter sido grande espingarda), estamos quites em relação ao jogo da Dinamarca que, com grande futebol, devíamos ter vencido. Ainda que, dos 3 pontos a mais que podíamos ter, só se tenha alcançado 1...

De manhã o insaciável Freitas Lobo brindou-nos com um 4x4x2 impossível de fazer na selecção de Queiroz.

Quem dá menos?

galvao99 disse...

A repetição de preconceitos estereotipados é o desporto favorito dos Portugueses, e até aí não vem mal ao mundo. É pena que os comentadores, chamados profissionais, embarquem neste tipo de amadorismo.

Dava-te os exemplos que quisesses, mas o de Ricardo, o outro, o guarda-redes, é o mais flagrante. E repara como, apesar da boa exibição do Quim, ninguem fala da bola cabeceada por um Sueco em plena pequena-área Portuguesa. Acontece que não era suposto ser Quim a preencher o imaginário preconceituoso do adepto e do comentador tuga naquela situaçao.

Logo, pagou Quaresma, que estava mesmo ali à mão, não se notando que foi com Quaresma em campo (e com outros, é verdade) que Portugal fez a sua melhor fase de jogo (a segunda parte).

Bem sei que nao aprecias Scolari, mas numa coisa acredito.Com ele à frente da selecção, Quaresma era titular no próximo jogo e Nani ia para o banco durante 6 meses. Veremos se Queiroz consegue ultrapassar este "medo" de ir contra a maré.

EntradàVirilha disse...

Que péssimo jogo que o Raul Meireles fez... Andou o jogo todo a esconder-se atrás dos suecos e não acertou dois passes de seguida...

katanec disse...

Caro MK, acho que estás a ser um pouco injusto. A exibição foi razoável e o resultado interessante. Perder este jogo seria horrível, quer psicologicamente, quer nas contas do apuramento. É claro que podemos e devemos ser mais ambiciosos, mas na segunda parte estivemos próximos de ganhar a partida (quer com lances perigosos, quer num penalty óbvio sobre o Ferreira).

Quanto ao caso Quaresma, não tenho a mesma opinião, mas isso deriva provavelmente de um "pré-conceito": tu adoras o Quaresma, eu nem por isso. De certo modo, interpretamos as suas exibições por estas "lentes" pré-programadas... Onde eu vejo horror, tu vês brilhantismo. É difícil encontrar acordos, suponho.

Por exemplo, tu falas de um cruzamento que passou "perto da baliza" e um bom remate. Eu vi um cruzamento para fora e um remate que ficou a uns 4 metros da baliza. Não foi propriamente entusiasmante. Tal como os "passes curtos" para os colegas, que tanto te agradaram...

Mas estou de acordo numa coisa: a análise dos comentadores da SIC foi ridícula. Ao primeiro toque na bola já estava em causa... E a sugestão de que Quaresma devia sair 10 minutos depois de ter entrado foi patética. Abraço!

katanec disse...

E outra (importante) nota: percebo que cites o FJV e tens todo o direito em fazê-lo. Mas há aí uma perigosa sugestão de que as críticas ao Quaresma são motivadas por racismo. Acredito que as haja, mas gostava de pensar que as minhas observações são fundamentadas exclusivamente numa percepção da lógica futebolística, e não motivadas por factores tão deploráveis como esse.

Bem sei que não achas que os meus comentários se devem a racismo, mas queria ainda assim deixar clara a minha posição...

Pedro disse...

Desde q tenhamos uma qualificação à Scolari acho q ninguem se irá importar com este "jogo à Scolari"...o problema é se temos "jogos à Scolari" e depois qualificações à tuga...

Coitadinho do Quaresma...malvados...

Metralha disse...

MK, quer se queira quer se não queira, o Quaresma tem um feitio fo****!

E não foi expulso pq o arbitro não quis. A primeira entrada é uma agressão e quando ele leva o amarelo no 2º lance que poderia dar expulsão, vê-se o Moutinho a pedir desculpas ao arbitro por ele.

Relativamente ao jogo, só as aventesmas que o estavam a comentar é que podiam considerar o Meira um dos melhores em campo, qd foi nitidamente o pior jogador em campo na selecção. E provocou o péssimo jogo de Meireles por nunca se saber se estava no meio campo ou a 3º central.

Moutinho foi enorme! Há muito tempo que não lhe via um jogo tão completo.

Bruno Ribeiro disse...

Se não é preconceito é o quê?

Mas faz algum sentido dizer que um jogador deve sair ou que fez uma exibição pavorosa quando em 25 minutos em campo teve mais acções ofensivas com proveitos do que o Nani ou de que o Cristiano Ronaldo? A equipa jogou toda mal, no entanto quem leva na cabeça é o Quaresma!

Ninguém critica a péssima exibição do Moutinho. O facto do Nani ter estado 80 minutos a mais em campo também interessa pouco. O Hugo Almeida continuar sem saber dominar uma bola é outra coisa irrelevante. O Ronaldo em todo o jogo ter conseguido um único remate também passa o lado. O que interessa é criticar o gajo que entrou no a meio da segunda parte porque não conseguiu sozinho aquilo que os outros não foram capazes de fazer.

Melhor só o 'génio' do David Borges dizer que agora com Queiroz a malta (leia-se adeptos) não canta o hino. Isto quando foi audível os cerca de 1000 adeptos num jogo fora de casa na Escandinávia a cantá-lo!

Filipe disse...

"Ninguém critica a péssima exibição do Moutinho. "

Huh? Longe de mim gostar de defendê-lo, mas fez um bom jogo. Talvez estejas a pensar no Meireles. Mas mesmo aí a culpa é sobretudo da indefinição do Queirós naquele meio campo (não percebo o porquê do Danny no banco).

Não vi nada de extraordinário no que o Quaresma fez, mas pareceu-me uns furos acima do Nani (que tinha estado bem nos outros jogos). São ambos bons jogadores e custa estar a ver um jogo em que estão constantemente a serem criticados, sobretudo quando não há uma palavra para o mérito do adversário.

Mas não creio que tenha a ver com racismos ou clubismos (o Deco, que passou pelo mesmo clube, irrita pelo outro extremo, mesmo um passe para trás provoca um êxtase quase sexual nos comentadores).

Alguns iluminados da nossa praça decidiram que o Ronaldo era a grande estrela e que o Quaresma era o patinho feio. Ainda estou para ver se o Danny não provocará o mesmo tipo de reacções (por oposição ao Deco) nos comentadores.

Bruno Ribeiro disse...

filipe,

nope. Estava de facto a pensar no Moutinho que foi uma nulidade na tarefa que era suposto fazer que era a de construir jogo. O Meireles não esteve melhor, de facto. Mas a culpa do Moutinho 'já não saber construir jogo' deve-se sobretudo ao ser o verdadeiro 'canivete-suiço' do futebol português: serve para todas as posições do meio-campo mas não é extraordinário em nenhuma quando o deveria ser!

Repara que eu não falei em questões clubísticas, mas de facto elas existem na apreciação dos jogadores (o Deco é muito mais admirado agora do que quando estava no FC Porto). Mas com o Quaresma já nem isso pode servir de desculpa. Não é racional estar a dizer que o jogador deveria ser substituído quando acabou de entrar quando estão em campo 2 ou 3 tipos que em 80 minutos não fizeram nada de jeito.

E aposto contigo que o problema do Quaresma para muita gente é ser cigano. Por mais que o neguem. Acredito mesmo que muitos achem que isso não é questão. Mas como psicólogo social conheço muito bem os mecanismos de manifestação de preconceitos, e os constantes ataques a Quaresma e a forma de avaliação não me deixam grandes dúvidas quanto à origem das mesmas.

master kodro disse...

katanec, discordei da tua opinião no teu post. Neste post só falo da falta de respeito dos comentadores e não da tua opinião. É por haver pessoas cuja opinião estimo, como a tua, a opinar dessa forma sobre Quaresma que ainda escrevo 'involuntário' no texto.

Só que já não consigo encontrar mais explicações. Eu não vi nenhum brilhantismo de Quaresma. Vi uma entrada normal, em 25 minutos de jogo em que lhe disseram para decidir e ele tentou e não conseguiu. Vi o melhor período da selecção com ele em campo. Vi que esteve em 3 das 4 ocasiões criadas no tempo em que jogou. Acabou como o mais rematador da selecção. Em 25 minutos. Não sei o que é que os outros passaram o resto do jogo a fazer.

O conceito de Viegas é perigoso, concordamos. Mas ainda não encontrei outra explicação em lado nenhum.

galvão, com Scolari, Quaresma não seria titular em jogos importantes a não ser que não houvesse mais ninguém, incluindo o Duda.

Filipe disse...

Bruno, apesar de tudo a exibição do Moutinho não foi péssima, apenas sofrível. E continuo a achar que uma referência mais atacante teria melhorado a prestação quer do Moutinho quer do Meireles.

O extraordinário no Quaresma é que mesmo entre os adeptos do Porto havia um razoável número de anticorpos quanto ao jogador. Mas quanto ao ser cigano não me parece que seja um factor. Não é o Reyes que também é cigano? (ou só funciona para os nacionais?)

ChuckE disse...

o Reyes n é nada cigano, o treinador é q é...

Essa do Quaresma ser titular no jogo a seguir com o Scolari é para rir, não é? O Quaresma foi, até ao Europeu, sempre considerada a 3º opção do Scolari. Foi titular sempre que o Simão estava lesionado ou castigado, e até me lembro que, depois do jogo com o Brasil (melhor em campo) e 3 dias depois do jogo com a Bélgica (em que marcou aquele golo), foi para o banco de suplentes, porque o Simão já estava disponível. Lembro-me até que, depois do jogo com a Itália, em que marcou o golo e foi considerado dos melhores em campo, recebeu uma crítica mascarada do Scolari, direccionada aos "individualistas". Critica essa que foi repetida depois do jogo particular antes do euro (dos melhores de novo), e penso que todos perceberam que o Quaresma tinha deixado de ser a 3º opção do treinador, como se veio a confirmar no Euro.

Não vou aqui entrar se era porque era cigano, porque era do porto, porque era individualista, mas que havia ali um problema, havia. Quaresma a titular no próximo jogo? Deixa-me rir...

Ricardo disse...

Bem, correndo o risco de contrariar as ideias do psicólogo social Bruno Ribeiro (que, com toda a certeza, saberá mais disto do que eu), na minha opinião a bipolaridade de opiniões sobre o Quaresma nada têm a ver com racismo. Alguns não gostarão dele por ele ter sido do Porto, outros não gostarão da forma como joga, por serem defensores de um jogo menos arriscado. É apenas a minha opinião, sabendo, no entanto, que há preconceitos, como diz o Bruno, que podem estar mascarados de outra coisa qualquer.

Eu sempre gostei do Quaresma e acho-o um jogador fora de série - em termos de criatividade, acima do Ronaldo, claramente. Não deixo é de criticar aquilo que se vê. E aquilo que se viu, tirando um ou outro lance em que decidiu bem, foi uma atitude estúpida que podia ter valido muito caro à Selecção, se ficássemos em inferioridade numérica e uma péssima decisão nos últimos minutos de jogo, quando decidiu rematar com outras soluções bem mais inteligentes. Há quem defenda a tese imbecil de que "um avançado remata à baliza", como se a solução de passar a bola fosse estúpida só porque se está com a mira apontada. Acho essa teoria das coisas mais aberrantes que já li, vi e ouvi sobre futebol. E continuo a achar, mesmo em peladinhas (nas quais me criticam "Eh pá Ricardo, tu não rematas à baliza, passas sempre!"), que se eu estiver de frente para o guarda-redes, isolado, e tiver um gajo da minha equipa ao lado, o melhor é simular que remato, fazer cair o guarda-redes e meter para o meu companheiro, mas isto sou eu. Aliás, há cerca d euma semana saiu no "A BOLA" um texto do LFL sobre essa temática, referindo-se, na altura, ao Marcelinho da Naval e a uma situação idêntica. Dizia ele, Freitas Lobo, que por vezes ficar mais perto do golo é não rematar. Concordo totalmente. E isso o Quaresma algumas vezes parece não querer ver.

Quanto a ele ser genial, não tenho dúvidas sobre esse aspecto. Até acho que é uma ofensa alguém dizer que o Quaresma não o é.

Pedro disse...

"o Deco, que passou pelo mesmo clube, irrita pelo outro extremo, mesmo um passe para trás provoca um êxtase quase sexual nos comentadores"

:):):)

galvao99 disse...

MK, as circunstâncias são diferentes. Hoje até os adeptos do Porto estão contra Quaresma, logo, parece-me evidente que, nem que fosse por isso, e tambem para embirrar com os comentadores, Scolari ia ponderar sériamente a titularidade do jogador :)

Aliás, até recordo aquela situação do Sérvio, em que Scolari foi lá defender o "minino", que era o Quaresma. Logo, quando atacam o "minino" o Scolari vai lá. Isto sao factos :)

leaoconselheiro disse...

MK, que os comentários são a 90% uma sucessão de ideias preconcebidas aplicadas a um jogo de futebol, de acordo.

Agora não achas que estás a exagerar na exibição do Quaresma?? O cartão por ajudar a defender (foi uma entrada despropositada)? o Ronaldo é que demorou demasiado a fazer o passe (ele esperou para que ele ficasse em jogo, não o contrário)?

Só uma provocação: se usares o scroll no teu blog vais encontrar o termo "pavorosa" para classificar a exibição dele. Que é um exagero, de acordo, mas também achas que foi por preconceito?

Filipe disse...

"o Reyes n é nada cigano, o treinador é q é..."

Pois é, já me lembro, o homem disse que não era "gitano" na mesma entrevista em que disse não saber quem era o Liedson...

Quanto ao Quique não sabia. Para já parece ser apenas uma curiosidade sem grande peso na avaliação do indivíduo (se desatar a perder é possível que à boa maneira portuguesa desate a ser o "raio do cigano").

O Quaresma extravasa isso. A má vontade em relação a ele é algo que vem já desde os tempos do Sporting. Muitos lagartos me diziam que tinha mais talento que o Ronaldo mas...

Littbarski disse...

Um dos problemas do futebol português é precisamente rematar pouco à baliza. Mais um toquezinho, mais uma finta, que ainda faltam (sempre) 10 centímetros para ter o melhor ângulo de remate. O Van Basten recebeu a bola na direita, sem ângulo, sem preparação e, com vários colegas na área em melhor posição do que ele, fez isto. E foi por coisas como esta que a Holanda foi campeã europeia. Que pena o Van Basten não passado para o colega do lado...

O Quaresma estava em posição frontal, tinha ângulo de remate e tentou a sua sorte. A opção foi correcta, o remate saiu mal. Se tivesse algum colega isolado, numa posição privilegiada para marcar, ainda aceito que devesse passar a bola. Agora, entre passar para o lado, e rematar à baliza, quando a oportunidade surge, que se remate. Muitas vezes, de preferência.

Ricardo disse...

Littbarsi, a tua comparação entre decisões correctas e o golo do Van Basten é totalmente despropositada, mas, está muito bem, pelo menos fizeste-me rever esse golo de outro mundo. Ao menos isso.

Littbarski disse...

E eu acho que passar para colega do lado, quando se tem oportunidade de rematar à baliza é que é despropositado. Mas tudo bem, ambos revimos o grande golo do Van Basten, depois de uma decisão, imagino, muito pouco correcta.

Ricardo disse...

O facto de um jogador procurar as melhores decisões ao longo de uma partida classificam-no como bom ou mau; se decide bem, regra geral, está mais perto de cumprir o que se lhe pede; se as decisões são más, mesmo que marque um grande golo uma vez, quando devia ter passado, está longe. Isto, obviamente, não serve para o Van Basten, que foi um jogador de top na sua posição. Mas serve para analisarmos decisões. Sim, a decisão desse golo foi errada e não, não somos robóticos ao ponto de acharmos que as más decisões não têm sentido em grandes jogadores de futebol, muito menos quando, apesar de más (no sentido em que, do ponto de vista teórico, estavam mais longe de cumprir os objectivos), se revelam de uma beleza sem par.

O que me parece é que apresentar esse golo como contra-argumento para aquilo que eu disse, não faz sentido. Pelo menos para mim. Dou-te um exemplo: está um jogador no meio-campo defensivo com a bola, pressionado e com apenas uma solução: passar para um dos centrais. O jogador, em vez de solucionar essa jogada da melhor forma (passe recuado) decide fazer uma rata a um dos adversários, fá-lo com brilhantismo, depois faz um passe a rasgar para o avançado que marca golo. Diremos: teve a decisão mais correcta? Não teve. Correu riscos dispensáveis. O problema dessa situação é que, normalmente, o jogador que faz isso perde a bola e desequilibra a equipa. E se a equipa desse jogador sofrer golo porque ele decidiu adornar o lance? Diremos que teve a decisão menos correcta? Diremos.

Ricardo disse...

"E eu acho que passar para colega do lado, quando se tem oportunidade de rematar à baliza é que é despropositado." Obviamente não concordo com isto. E já justifiquei o meu porquê.

naked sniper disse...

não achei que o Quaresma tenha feito nada de especial.

ainda assim, esteve muito melhor q o Nani, q devia ter saído muito antes dos 83 minutos

o Danny, esse sim, é que jogou muito. devia ter entrado BEM mais cedo

pitons na boca disse...

Para os entendidos da matéria, que dizem que o Meira fez um jogo horrível, porque não se sabia (ou terão sido vocês que não perceber?) se era trinco ou 3º central, gostaria de fazer uma pergunta.

Sendo que Portugal estava a jogar contra uma Suécia que tinha 2 avançados (ou pontas de lança, ou suissinhos, ou lá como lhes quiserem chamar), e sendo um deles um tal coxo de nome Ibrahimovic, que soluções apresentavam?

- jogar 2x2 com os centrais portugueses, não dando espaço a qualquer deslize;
- jogar com um dos laterais a tapar um dos avançados, sabendo que pelo menos um deles é bem ofensivo e os extremos portugueses têm pouca apetência para defender os médios-ala das equipas adversárias, obrigando os interiores portugueses a ainda mais compensações longe da área preferencial de acção deles;
- jogar o Meireles a trinco (ou o Moutinho???) com as consequentes dificuldades físicas que esse posto obrigaria, tendo em conta o físico dos avançados suecos;
- pura e simplesmente deixar o barco andar, ficando sempre alguém solto no ataque sueco na esperança de que a Sra. do Caravaggio ainda esteja por cá.


Não digo que o Meira tenha feito um bom jogo, mas esteve bem longe de fazer um mau jogo, ou horrível se preferem assim. Por acaso até acho que esteve bem melhor no seu lugar especifico do que o Nani no dele.

Ricardo disse...

Nem mais, Pitons.