quinta-feira, outubro 16, 2008

Futebol de traque

1. Era inevitável. Mal acabou o jogo recebi a seguinte mensagem: "Pois é, volta Scolari!". É algo que vamos ler hoje repetidamente. Talvez Scolari marcasse os golos que Nani e Hugo Almeida falharam, talvez desviasse o poste ou a mão ou o pé do guarda-redes. Talvez fosse isso. Porque quem se preparar para dizer que Scolari mexeria de forma diferente na equipa, de uma forma mais ofensiva (mais ofensivo do que Ronaldo, Quaresma, Almeida, Nani e Gomes) ou mais cedo do que Queiroz fez, recordo situações semelhantes passadas nos últimos anos no próximo ponto.

2. Portugal 2 x 1 Liechtenstein, 8-10-2005, adiantaram-se os forasteiros aos 32', empatou Portugal aos 48 minutos e o golo decisivo apareceu aos 85 minutos. Entre os 48 e os 85 minutos, Scolari mexeu pela primeira vez na equipa para trocar Maniche por Tiago aos 70 minutos, trocou Simão por Hugo Viana aos 74 e Cristiano Ronaldo por Nuno Gomes aos 82.

Arménia 1 x 1 Portugal Golo arménio aos 10, empate português aos 36. Substituições aos 60 (Postiga por Gomes), 62 (Simão por Quaresma) e 76 (J. Andrade por Bruno Alves).

Cazaquistão 1 x 2 Portugal Primeiro golo do jogo por Portugal aos 82 minutos. Substituições até então: 60 (Maniche por Nani) e 63 (Almeida por Makukula).

Portanto, não me parece nada que seja esse o caminho. É que embora seja inegável que a Albânia é uma péssima selecção ainda é a 83.ª do ranking e a Arménia é a 101.ª, o Cazaquistão o 131.º e o Liechtenstein o 135.º. Been there, seen it, done it. A não ser que qualquer análise a Scolari seja feita numa lógica independente daquilo que ele faz. Aí não discuto, porque sou ateu. Se quiserem dizer que Scolari controla o tempo e o espaço numa dimensão superior, embora faça o mesmo que Queiroz fez, estão no vosso direito de crentes.

3. Mas isto não passa de um pormenor pouco útil para o que realmente interessa. O que importa é a qualificação e essa passou a depender de ganhar todos os jogos ou do que os outros fizerem. E para ganhar todos os jogos é preciso mostrar a atitude dos jogos com Malta e Dinamarca e não a que foi apresentada neste jogo e na Suécia (principalmente na Suécia). Estamos a retroceder relativamente aos bons sinais dos primeiros jogos com a agravante de os maus resultados serem acompanhados por exibições deprimentes.

Não podemos, com este naipe de jogadores, jogar mal e não ganhar. Não podemos começar revoluções importantes e deixá-las a meio porque o azar bateu à porta. Danny entrou na selecção e não substituiu Deco na sua ausência. Antunes está na convocatória, já jogou em Malta, é ofensivo e chuta bem com o pé esquerdo e Paulo Ferreira não se entende com ninguém que jogue na ala. Acrescentar Manuel Fernandes à equipa na falta de Deco não resolve nada, é andar para trás. Jogámos contra a Albânia, não contra França...

Isto para não falar nos destaques negativos, mas isso são questões individuais momentâneas. Não vale a pena falar do momento de Miguel, nem do mau jogo de Moutinho, nem da forma de Ronaldo quando o problema é outro e chama-se dependência das individualidades e do que estas, isoladamente, conseguem criar. "Cristiano, filho, tens que vir de trás com a bola" dizia Queiroz. E fintar 10 gajos e fazer o meu trabalho como fizeste o de Scolari, acrescento eu. Para isso qualquer um pode ir para aquele lugar. Quando Deco, o metrónomo da selecção, não está presente, a ordem esvai-se e estas coisas notam-se (ainda mais) a milhas. Porque o "individual" dele é o mais "colectivo" que pode existir à face da terra. Que saudade, cara...

ps - Este texto foi escrito ontem à noite. Ainda não tinha visto a filhadaputice da capa da Bola de hoje. Nem vale a pena dizer mais nada. Estás fodido, CQ. Enquanto não fores às trombas a alguém ou não cantares hipocritamente o hino português para a televisão filmar, não prestas.

master kodro

29 comentários:

JoniBeGod disse...

E o burro sou eu ? LOL... falem mal do Scolari... a verdade PURA E DURA é que nos apurámos sempre e nunca estivemos 3 jogos sem ganhar nem nunca perdemos em casa nem nunca empatamos com ALBANIAS com 10....

Hugo Almeida? KÉ CARALHO É AQUILO ? Moutinho? Lol...

Voltem velhotes, tao todos perdoados!

cumps
joni

pitons na boca disse...

"E fintar 10 gajos e fazer o meu trabalho como fizeste o de Scolari, acrescento eu."

Fica um bocado mal dizeres para não apontarem Scolari, e depois usares destas tiradas. ;)

Francis disse...

Ainda bem que não se passa nada. Está tudo bem.

Insurrecto disse...

mk: em algum desses jogos estávamos obrigados a ganhar como neste?

algum desses jogos foi contra 10?

master kodro disse...

joni, a verdade pura e dura? Tirando aqueles empates seguidos com Arménia, Polónia e Sérvia da qualficação passada, dois deles em casa, com Scolari isto nunca aconteceu. Verdade pura e dura.

Leste o texto, francis? Quando chegares ao ponto 3 vais perceber o sentido do teu comentário.

pitons, julgo que não se deve falar de Scolari como alguém que tivesse feito melhor nestas circunstâncias. É esse o sentido dos primeiros pontos do post. E ainda falta aqui o comportamnento dele quando em vantagem numérica.

master kodro disse...

Não, insurrecto, foram todos jogos de qualificação mas contra a Arménia, Liechtenstein e Cazaquistão não estávamos obrigados a ganhar. Só contra a Albânia.

Este também não foi contra 10. A Albânia entrou com 11. E se ficou com 10 foi porque algo se passou que não se passou noutros jogos.

Pedro Reis disse...

A capa d'A Bola é simplesmente nojenta!

Aos saudosistas do Scolari: Foi impressão minha ou foi ele que se foi embora (e com uma ética fantástica, como certamente se recordam)? Queriam exactamente o quê? Que nos ajoalhássemos para ele ficar ou que pagássemos 1M por ano?

O jogo foi mau, algumas escolhas do CQ foram más, a maioria dos jogadores jogou mal, essa é a realidade pura e dura.
Como com o Scolari houve momentos tão maus como estes e houve outros melhores, como espero que venha a haver com o CQ.

Leão de Alvalade disse...

MK: era dos que achava que ter um treinador campeão do mundo como seleccionador nos tinha que ter trazido mais do que Scolari nos deu, quer em exibições quer em titulos. Ter um bi-campeão mundial (mas de júniores...) como treinador pensava que não seria pior. Afinal enganei-me. Começamos por perder o jogo na cabeça do Queiroz (M. Fernandes? Miguel? Danni a extremo, com Nani e Quaresma no banco?, etc. etc.) e acabamos por perder os 2 pontos na rebaldaria que foi no relvado. Eu acho que não faria pior.

Pedro disse...

A azia q vai para esses lados...

Mas numa coisa tens razão são meros pormenores...o q interessa é q em duas qualificações Scolari levou Portugal às competições. em causa. Na q não foi preciso qualificar-se levou Portugal á final.

Alguem fez melhor? Até hoje não e pelo q se tem visto não será desta q, no minimo, alguem faça igual.

Em relação à capa da Bola...se Queiroz aguentar metade dos ataques q Scolari sofreu enquanto cá esteve não será mau...

luissm disse...

Mais do que falar sobre o Scolari, interessa falar do CQ?

Porque é que este gajo é seleccionador nacional?!?!

Há algum argumento de defesa? Eu só vejo merda atrás de merda.

luissm disse...

Mais do que falar sobre o Scolari, interessa falar do CQ

Sem ponto de interrogação!

Bruno Ribeiro disse...

Vergonha é perder um Europeu em casa, com metade da equipa formada por jogadores que se tinha sagrado vencedores da Liga dos Campeões, frente à Grécia, depois de já ter perdido com a Grécia no jogo inaugural e depois de ter empatado meses antes em casa com a mesma Grécia. Sim, o burro é ele e o palhaço que fez aquela capa!

Quanto ao jogo de ontem, é claro que Queiroz tem culpa no cartório. Agora tem de ganhar os 6 jogos que faltam. E o resto é conversa da treta!

Francis disse...

mk, é o queres fazer parecer.
tentas a todo custo arranjar maneira de desculpar uma coisa que não tem desculpa, más opções, más substituições e péssima atitude.

a capa da bola é absolutamente chocante.

Pedro disse...

Sim..é mesmo uma vergonha levar Portugal a uma final do Campeonato da Europa...uma vergonha..
:):):)

Menphis disse...

http://www.ojogo.pt/24-238/artigo754719.asp


João Pinto no Ojogo: essencial para a explicação deste resultado.

master kodro disse...

francis, leste o ponto 3 do post? É todo ele a bater em Queiroz. E o título do post? Achas que é referente a quê?

farinha amparo disse...

Para o homem que foi sempre despedido quando foi treinador principal de homens (e em quatro continentes), a capa da bola não é nada.
Os tipos da bola, aliás, são uns ingratos.
Já se esqueceram do campeonato que ele lhes ofereceu quanto estava no Sporting.
E já se esqueceram das convocatórias e dos onzes (Quim, Martins, Antunes e Danny) a pedido da imprensa.
Devem é ter ficado em brasa com a ausência no flash e vai daí, vingança.
Mas o que interessa é Queiroz.
Pela boca morre o peixe: quem com homens só ganhou duas taças (Portugal e Japão), em muitos anos, e vem dizer que Portugal nunca ganhou nada, está agora em muito maus lençois para ganhar um simples bilhetinho para um país onde até já trabalhou.
Era bom que deixasse de se armar em espertisnho (com o futebol-
opera, a "má-sorte" e os onzes prós jornais) porque a malta quer ver a sério o próximo mundial.

Vimaranes disse...

Nojenta a capa da ABola, mas nada que espante.

cparis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cparis disse...

"Se quiserem dizer que Scolari controla o tempo e o espaço numa dimensão superior, embora faça o mesmo que Queiroz fez, estão no vosso direito de crentes."

:D
Bem, se fazem o mesmo quer dizer que para ti, Scolari já é tão bom seleccionador como Queirós. Já não é mau.

master kodro disse...

Só tu é que ainda não tinhas percebido que eu critico as mesmas situações independentemente das pessoas, cparis.

cparis disse...

Ainda não te vi criticar o grupo de Queirós. Mas já vi no outro post que achas que Simão fez falta. Há melhoras.

nm disse...

Queiroz, como Scolari, não está acima da crítica. É bom que se acabe o estado de graça, porque essa ideia de que ele é o Escolhido, o D. Sebastião, o Salvador da Pátria, é muito perigosa. Sobretudo quando não me parece ter feito nada nos últimos 20 anos que justifique essa unanimidade.

O trabalho de Queiroz, para acabar com as comparações com Scolari, é simples: fazer melhor que o seu antecessor. E, para isso, não bastam promessas de bom futebol. A cada encontro que passa, desce a qualidade do jogo da equipa, esfuma-se a ambição, encurtam-se as ideias. Ainda vamos a tempo, mas os sinais são preocupantes.

master kodro disse...

Se ainda não leste, cparis, é porque tens que ler com mais atenção. Não denoto melhoras tuas nesse capítulo da análise de textos.

cparis disse...

Claro, claro.
Ao menos tu evoluis e Scolari já não era assim tão mau, e Simão faz falta.
Eu continuo na mesma, grato a Scolari pelo bom trabalho e a desejar a melhor sorte do mundo a Carlos Queirós.
Não sou dos que defendem que ele deva sair, antes pelo contrário. Mas, ao menos, vou sorrindo ao ver as cambalhotas dos "opinadores" e outros que tais que se queixam do azar.

sergonov disse...

Mk, desculpa-me mas o hipócrita aqui és tu!

Sempre achei que o Scolari conseguia muito com a equipa que tinha, tu e outros é que sempre acharam que éramos capazes de muito mais...

O Queirós é uma besta e basta ter olhos na cara para entender que o Nuno Gomes do inicio é bem melhor (mesmo falhando golos escandalosos) do que o Hugo Almeida, pelo menos pelo faz mexer o ataque.

Já agora o Quaresma é o pior jogador da nossa selecção (ao nível do Nani) não entendo como pode ser um bom jogador enquanto tiver tiques de vedeta e pensar que pode resolver tudo sozinho...

cps

Sir Denis disse...

A propósito da critica ao Quaresma.

Foi impressionante nos últimos 10 minutos do jogo ver o Ronaldo esconder-se da bola, o Nani falhar golos na cara do guarda-redes, o Hugo almeida a dar cotoveladas nos adversários em vez de cabecear a bola para uma baliza deserta.

No meio deste cenário, o quaresma foi o único que os teve no sitio. Quantas vezes veio buscar a bola ao meio-campo? Ao ver que ninguém se mexia teve que partir para cima dos adversários. Ganhou a linha 2 ou 3 vezes e fez um cruzamento perfeito para o segundo poste. Se repararem Quaresma está em todas as situações de perigo que Portugal criou na segunda parte. Para a próxima vejam o jogo sem ouvir os comentários da tvi, vão ver que pensar pela própria cabeça não é assim tão difícil.

O Nuno Gomes também entrou bem. Pode não ser um matador mas ao menos não é tão limitado tecnicamente como o Hugo Almeida. E decide quase sempre bem, aquela jogada em que isola o Nani é de craque. De resto salvaram-se o pepe e o bruno alves no capitulo da atitude, a quantidade de vezes que a Albânia criou perigo por erros infantis da nossa defesa não é justificável. Os defesas devem ser julgados sobretudo pela forma como defendem, e chegou a gerar-se um ambiente incompreensível de insegurança, portanto nem se pode chamar á exibição menos má dos centrais boa.

Quanto a Queiroz falar em trocar de treinador é prematuro, as contas devem ser feitas no fim.

master kodro disse...

Claro, sergonov. Eu que costumo cantar o hino do Brasil em público com vigor, sou o hipócrita. E o Quaresma é o pior da selecção, mas o Queirós é que é a besta.

Cparis, não sabes interpretar textos nem cruzar ideias. Assim não compensa perder tempo a falar contigo.

cparis disse...

Claro. É bem melhor gastá-lo a querer encontrar semelhanças entre a atitude de um seleccionador a jogar em Inglaterra contra a selecção local, e em Braga contra a Albânia. Isso sim, é tempo bem gasto.