quinta-feira, setembro 04, 2008

Tempos duros nos aguardam

Os últimos dias trouxeram-nos uma série de posições e opiniões controversas, no âmbito de uma luta irracional entre os incendiários de serviço, Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, e alimentada a gasolina pelos media coniventes. Depois de tudo o que li, peço-vos que alguém me diga o que é que a entrada de Bruno Alves a um jogador do Leixões (?) tem de semelhante com o sumaríssimo de Luisão, se alguém acha mesmo que o Benfica devia ser castigado por coacção e, por favor, que alguém me explique o que é que o Benfica pretende com a história da "violação involuntária"...

master kodro

21 comentários:

Henrique Maia disse...

pergunto-vos se alguém o que é que a entrada de Bruno Alves a um jogador do Leixões

Estavas a construir a frase de uma maneira e resolveste mudá-la?

Bruno Ribeiro disse...

Vamos por partes:

1) os benfiquistas acham, mas a gente dá-lhes o desconto do costume! Quanto muito o lance do Bruno Alves será comparável à cotovelada do Cardozo ao Rolando no lance anterior à agressão do Luisão ao Sapunaru. Quanto ao sumaríssimo, não percebem porque não compreende as regras, o que é compreensível tendo em conta o número de vezes que o critério é alterado, normalmente em seu benefício.

2) de certo que os adeptos do Boavista acham que o Benfica devia ser punido por coacção. Se os boavisteiros o foram devido a telefonemas de um ex-dirigente, é normal que achem que os encarnados o devam ser por um adepto entrar em campo e agredir um elemento da equipa de arbitragem, como está nos regulamentos aliás. Mais importante é perceber como é que uma invasão do terreno seguida de uma agressão a um árbitro assistente resulta apenas numa multa de €1.500.

3) procura uma desculpa esfarrapada para justificar um acto voluntário que esperavam que ninguém percebesse.

Quanto ao Vieira e ao Pinto da Costa, estão bem um para o outro. A diferença é que um ganha e o outro nem por isso. Mais tarde ou mais cedo acabam com isto e vão os dois conversar para um bar qualquer.

master kodro disse...

Exactamente, henrique. Pressionado pela dona da casa para abandonar os comandos do computador. Já alterei. Acontece-me muitas vezes. :)

androctonvs disse...

"cotovelada do Cardozo ao Rolando"

lol... vai ver o lance outra vez e vê lá quem é que salta contra o quê...

tenham paciência. é semana de jogo de selecção, isto vai ser assim durante duas longas semanas...

cparis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cparis disse...

1. Sumaríssimos.
Não os percebo nem percebo os seus critérios. Quer dizer - olho para os jogadores que já sofreram sumaríssimos e começo a perceber quais os critérios. São os mesmos que não mostraram o lance do penalty filmado da linha lateral desde o inicio.
Um árbitro não vê uma agressão é penalizado. Um realizador não mostra uma agressão acontece-lhe o que? Ainda não consegui ver como é que o Rolando fica a sangrar.
Mas não deixo de ficar contente por saber que nos 5 últimos anos só se filmaram 3 cotoveladas em Portugal que os árbitros não viram.

2. Coacção é a tese de José Guilherme Aguiar, assessor jurídico da SAD. Objectivo: criar confusão. Se todos fossem culpados, não havia culpados.

3. Não sou jurista. Acho que LFV foi fazer isto.

Mr. Shankly disse...

1) Nada de semelhante. Luisão é bem suspenso. Preocupa-me é que o CD veja tão poucas cotoveladas.
2) Se os adeptos boavisteiros (como se diz acima) acham que responsabilizar um clube por actos de um adepto ou de um dirigente é o mesmo, penso que o Boavista deveria descer mais uma ou duas divisões, por estupidez (uma vez que a estupidez dos adeptos seria imputável ao clube, também). Mas não acredito que o achem.
3) Não pretende nada, ou então pretende demarcar-se das violações voluntárias que vemos todas as semanas e que o fcp ainda não acusou.

Mr. Shankly disse...

"Objectivo: criar confusão. Se todos fossem culpados, não havia culpados."

Bom resumo. É o mesmo que os (pretensos) adeptos do Boavista (só do Boavista, os outros não) achariam (caso existissem adeptos tão estúpidos no Boavista, o que duvido).

Gabriel disse...

Já vi a guerra Costa x Vieira muitas vezes, no infantario, na escola primaria, entre primos, entre irmaos... até me apetece plagiar o Berardo, "FUCK THEM"

Bruno Ribeiro disse...

"2) Se os adeptos boavisteiros (como se diz acima) acham que responsabilizar um clube por actos de um adepto ou de um dirigente é o mesmo, penso que o Boavista deveria descer mais uma ou duas divisões, por estupidez (uma vez que a estupidez dos adeptos seria imputável ao clube, também). Mas não acredito que o achem."

Penalizar um clube por um acto de um adepto é estúpido. Mas também o é penalizar por um acto de um ex-dirigente!

Hugo disse...

Não defendo a coacção mas sim a interdição de campo, que seria o mínimo admissível.
Aliás num Dinamarca-Suécia,com um caso semelhante,puniram a Dinamarca com uma derrota 0-3, mas isso seria pedir de mais...

nelson_oliveira16 disse...

Agora disseste tudo, hugo...

Zé Luís disse...

Aos que se fazem de:
- distraídos
- desconhecedores
- ex-defensores da aplicação dos regulanentos, dura lex, sed lex
- contorcionistas tipo Ricardo Stalin Costa ou Freitas Trotsky do Amaral na interpretação de factos e até na descrição de coisas comuns como "coacção" e "violência" (vernal ou física)
- aos que não podem acusar o Verão de ter sido demasiado quente para esquecerem o que se passou,

digo

- o Boavista pagou caro uma coacção por telefone
- para tal vasculhou-se se, além de sócio do Boavista FC, o major Loureiro tinha uma, uma só, ainda que simbólica, acção da Boavista FC, SAD para o responsabilizar pelos telefonemas aliciadores de árbitros
- mesmo que, em juízo (da Liga), os árbitros envolvidos (cito de memória Elmano Santos e o árbitro-assistente Paulo Januário, não do mesmo jogo) tenham garantido que não se sentiram influenciados ou coagidos e dirigiram normalmente os encontros que, por sinal, redundaram em 2 derrotas (Luz e Bessa com o Estrela, empate com a Académica ainda no Bessa, com Jorge Sousa...) para o Boavista.

Portanto, como de coacção sobre árbitros não sabemos bem o que é ou pode significar/implicar, ficando ao critério do Ricardo Stalin Costa, é sempre possível imaginar que, pior do que "ameaças" por telefone, uma agressão, objectiva e visível por milhões em directo, no mínimo devia dar derrota e interdição do estádio e, com o fel do Costa da Liga, porque não a descida de divisão.

Não podemos andar a apregoar justiça por coisas maquinadas em livro e mal esclarecidas mesmo por telefone e agora fechar os olhos às coisas.

É por isso, por esta pouca vergonha que os antes queixosos agora não se queixam, que anda alguém a desviar as atenções sobre quem se senta e como e com quem nas cadeiras vip e quem acompanha os dirigentes visitantes à tribuna a que têm direito.

Está visto que querem encobrir muita coisa. Isto para lá do branqueamento infame que fizeram da agressão. Uma "pena leve" para a justicialista CD da Liga, apesar de reconhecer-se a agressão que, no caso do Rascord muito em voga nalgumas observações do MK, levou a atenuante de "pretensa agressão" (ontem, págs. 3 e 48).

Como é bom de ver, ainda, que um árbitro-assistente eventualmente alvo da ira de algum adepto tresloucado no Dragão - o que nem por sombras aconteceu no novo estádio até à data - não será corajoso - como apelidaram José Ramalho por aguentar estoicamente o cachaço - mas cobarde se não se atirar para o chão e dizer que teve dificuldade em ir à casa de banho (se ainda não estiver penhorada, de resto).

É a moralidade em voga no país que, decerto, não consegue produzir capuchos que sirvam a todos para enviar nas cabeças, com ou sem corninhos de diabo...

Mr. Shankly disse...

"no mínimo devia dar derrota e interdição do estádio e, com o fel do Costa da Liga, porque não a descida de divisão."
Sim, porque não? Vamos fazer tábua rasa dos regulamentos e fazer a vontade ao ze luis. Bora lá. Já tinha notado algum desejo de aderência da realidade aos seus desejos, mas hoje ficou claro.

pitons na boca disse...

Estão todos a esquecer-se de um pequeno (ou nem tanto) pormenor: então e obrigar o Benfica a pagar a conta do hospital do arbitro assistente, até sarar das lesões causadas por tão brutal e bárbara agressão?

Isso sim, é que era de valor.

Mr. Shankly disse...

"então e obrigar o Benfica a pagar a conta do hospital do arbitro assistente, até sarar das lesões causadas por tão brutal e bárbara agressão?"

Pelo que vi, até me podem obrigar a mim :)

Ricardo disse...

Bruno Ribeiro,

já leste os regulamentos? É que se leste e encontras matéria suficiente neste caso para fazer o Benfica descer de divisão, lembro-te aqueles famigerados 100 metros em fúria e baba atrás do Pratas que os 10 jogadores de campo do Porto protagonizaram. Essa já não dava direito a descida de divisão? Haja lucidez e coerência, senhores.

José disse...

Boas!
Não comparo nada com nada, mas parece-te que o lance do B. Alves não era merecedor de punição?!
Volto a dizer que não me parecem casos comparáveis...
Quanto à coacção, o energumeno que aventou essa possibilidade não me merece qualquer tipo de crédito!

McBridden disse...

O lance do Bruno Alves sobre o Jorge Gonçalves foi punido pelo árbitro com uma falta. Logo, e apenas por isso, não pode ser alvo de sumaríssimo.

g4rf13ld disse...


pitons na boca disse...

Estão todos a esquecer-se de um pequeno (ou nem tanto) pormenor: então e obrigar o Benfica a pagar a conta do hospital do arbitro assistente, até sarar das lesões causadas por tão brutal e bárbara agressão?


Jovem, isto em qualquer país mininmamente civilizado era razão suficiente para interdição do estádio e derrota no jogo. O mesmo aconteceu recentemente num Dinamarca-Suécia e também num jogo da Roma em que o árbitro Anders Frisk levou com um isqueiro na cabeça.

Claro que essa mesma lógica já não se aplica a casos como o do Bruno Alves, que alguns chegaram a acusar de tentativa de homicídio ou paralizar o jogador do Leixões, apesar de o mesmo ter recuperado practicamente sem mazelas.
Pelo contrário, o lance em que o Katsouranis parte a perna ao Anderson, ou as entradas assassinas do Binya são perfeitamente normais, e não são merecedoras de qualquer punição. (outra coisa não seria de esperar, ou não jogassem eles onde jogam)

pitons na boca disse...

Como é bom voltar a ser jovem, nem que seja só pela duração da leitura de um comentário num blog.

Em parte alguma da minha intervenção se vê ou depreende que sou contra a interdição do estádio? Acho engraçado é como algumas pessoas tratam esta "agressão", porque lhes convém. Como se pode ver, a do Bruno Alves não foi agressão, parece-me até que alguns duvidem que tivesse sido falta, já esta "agressão" pelos vistos quase decepava o pobre arbitro assistente. Dois pesos, duas medidas, mas nada que me surpreenda.

Bem podia lembrar o critério que se usou aquando da invasão campal da claque do Sporting, quando o "Soneca" marcou um golo em Alvalade; ou quando houve invasão e distúrbios filmados nas Antas, aquando da vitória do Famalicão por 1-0, em que o locutor da televisão levou um soco em directo e o outro, sentado na bancada via placas de madeira voarem a centímetros da sua cabeça; ou mesmo quando os jogadores, de um clube que equipa de riscas azuis e brancas verticais, corriam atrás do arbitro a dar encontrões (não seria coacção?).

Mas isso eram outros tempos... outras "Pratas" da casa.

Acho bem que haja castigo, nem que seja por 1 ou 2 jogos de interdição, mas acima de tudo começar a tirar dos estádios esses energúmenos (de qualquer que seja o clube) que não se sabem comportar civilizadamente, a começar por grande parte das claques.