quinta-feira, setembro 18, 2008

Cantinho do Vitória

1. Que eles são melhores, não há dúvidas nenhumas. Que eles mereceram ganhar este jogo, também não contesto minimamente. Mas porque é que eu continuo a achar que, com jeitinho, era possível termos feito um resultado de jeito já hoje? Deve ser gripe.

2. Cajuda entrou com um 5x2x3 (não, era mesmo um 5x4x1). Eram mesmo 5. E se queria defender e não jogar em igualdade numérica com Crouch e Defoe, devia ter-se lembrado da mesma receita no centro do terreno, onde João Alves e Wénio foram atropelados pela dupla inglesa, com Diarra a fazer exactamente o que lhe apeteceu, até marcar um golo. Depois, no mesmo desenho defensivo, acabámos a sofrer um segundo golo com Moreno em 1x1 com Defoe (sim foi num contra-ataque depois de um canto do Vitória em que Fajardo fez companhia a Desmarets no quarto de círculo, mas para quê?). Bizarro.

3. Nilson foi o maior. Até um penalty defendeu. Até à meia-hora eu já chamava nomes a Wénio e Momha. A partir daí e até o jogo terminar foi a João Alves. Aquela história de rematar sempre de qualquer lado é extremamente irritante, principalmente quando já havia jogadores desmarcados no ataque vitoriano, algo que não existiu na primeira parte, porque estavam todos atrás. Moreno também não esteve bem. Desmarets não apareceu. Roberto lutou.

master kodro

2 comentários:

Peyroteo disse...

O penalty falhado pelo Fajardo (pelo momento do jogo em que aconteceu) deixa o Vitória em maus lencóis. Ele já não tinha batido muito bem em Basileia mas acabou por entrar...
Penso que o Vitória não pode ficar envergonhado pela exibição. Portaram-se bem, frente a uma equipa com alguma qualidade.
Ainda não é altura de atirar a toalha ao chão pois um golo cedo no Afonso Henriques pode galvanizar o Vitória e fazer tremer os ingleses. É difícil mas não impossível.

Vitoria-1922 disse...

Ainda podemos chegar la ;D

--------------------------------

Orgulho Branco com Diana Mendes - "Di7"

Continuando na senda de jovens prodígios do desporto vitoriano, hoje conhecemos Diana Mendes.
A “Di7″, como é conhecida, não é propriamente uma estrelinha... mais um cometa, pelo talento que refulge nos pavilhões de basquetebol por esse país fora…
Uma gigante de coração apertado quando o tema é o basket, ou o nosso Vitória...

Veja em : http://www.vitoria1922.com/orgulho-branco-com-diana-mendes/