quinta-feira, agosto 28, 2008

Play it again, Sam # 1 - Fiona Apple

# 1 Fiona Apple

O erro
1. Assumindo que houve um erro grave do assistente no Basileia x Vitória (parece unânime), gostava de trazer outra questão à discussão. O Vitória sofreu dois golos. Sem eles (até sem um deles), e mesmo com o erro do assistente, o Vitória passaria à fase de grupos da Champions. E houve, certamente, mais do que um erro em cada um deles. Temos portanto um erro exógeno e vários erros endógenos para filosofar. O primeiro foi de um árbitro assistente que, muito provavelmente, não voltará a entrar em nenhum jogo do Vitória. Os outros podem ser trabalhados, a partir de hoje, porque foram cometidos por jogadores do plantel do Vitória (e outros terão sido cometidos pelo treinador).

Parece-me que há dois caminhos: centrar a discussão no que não podemos controlar e não vai voltar a acontecer (pelo menos com o mesmo interveniente); ou colocar o foco naquilo que podemos melhorar nos jogadores (e no treinador) que cometeram erros e que vão continuar a representar o Vitória todos os fins-de-semana e a meio de algumas semanas. Eu escolho o segundo caminho, que é o mais difícil, mas que me parece, potencialmente, o mais proveitoso.

2. Ainda no campo do erro, volto aos nossos olímpicos. Alguns foram magníficos, outros desiludiram (e ninguém ficou mais desiludido do que eles). Todos foram excepcionais quando, na sombra do anonimato e no lodo das condições de trabalho de que dispunham, conseguiram provar ao Comité Olímpico Internacional que tinham o valor suficiente para entrar no restrito lote dos melhores do mundo (entre os 20 e 50 melhores do mundo, na maioria dos casos) e representar Portugal nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Ainda assim foram-lhes apontados, quase exclusivamente, os erros. Quero aproveitar, por admirar a capacidade de exposição do problema - por absurdo - com mestria, as palavras que o Jean-Paul Lares deixou numa caixa de comentários do 442 para apresentar um hino ao erro da minha cantora preferida:

"O grau de irritação que me provocam alguns destes comentários quase me faz desejar que os resultados sejam piores, os atletas realmente imbecis e as declarações verdadeiramente vergonhosas, porque só assim estariam à altura da imbecilidade e ignorância de quem os profere."

Tema: "A mistake"
Álbum: "When the pawn hits...", 1999
Autoria (Letra/Música): Fiona Apple/Fiona Apple
Interpretação: Fiona Apple

"I'm gonna make a mistake
I'm gonna do it on purpose
I'm gonna waste my time
(...)
I'm gonna fuck it up again
I'm gonna do another detour
Unpave my path
(...)
And when I find my way back
The fact is I just may stay, or I may not
I've acquired quite a taste for
A well-made mistake I wanna make a mistake
Why can't I make a mistake?
(...)
Do I wanna do right, of course but
Do I really wanna feel I'm forced to
Answer you, hell no
I've acquired quite a taste for
A well-made mistake, I wanna make a mistake
Why can't I make a mistake
(...)"

Aqui, em versão abreviada:



Aqui, na versão completa tremida:


master kodro

9 comentários:

Virgílio Bernardino disse...

Basileia no grupo do SCP!!!

Estou cá com umas ganas de 'vingança'...


SL!

Virgílio Bernardino disse...

Os resultados do ano passado, chegavam!

Filipe disse...

Porra que o Braga está a jogar mal como o caraças.

Basileia com o Sporting? Pois é, vamos lá a ver se são assim tão fracos.

Entretanto o Platini voltou à carga, depois de algum tempo calado, em que possivelmente esteve a blindar os novos regulamentos:

"Não é lógico que o FC Porto esteja qualificado para a Liga dos Campeões. Eu combato a corrupção e se ela é provada tem de ser punida."

mike shinoda disse...

O site VitóriaGrande estreou dia 27 de Agosto um Fórum para que todos possamos discutir passo a passo a realidade vitoriana, que por estes dias vive momentos de tristeza e frustração.

Registem-se e deixem a vossa opinião sobre a secção "Vitorianos On Tour"- a maior compilação online de fotos de vitorianos por todos os estádio do país. Uma iniciativa única, em homenagem a uma massa associativa que partilha da mesma característica: ÚNICOS!

Vitória Grande!

cparis disse...

2. Não sei se o Tiago Venâncio ficou desiludido ou se Jessica Augusto ficou triste por ter de desisitir nos 5.000 metros. Mas eu sempre fui mau Zadinga, por isso curvo-me perante os teus dotes divinatórios que te permitem dizer que "ninguém ficou mais desiludido do que eles".

Mas a mim o que me espanta é não dedicares uma linha às inacreditáveis cambalhotas de Vicente Moura nem ao conluio que existe entre presidentes de federações que vão passear como treinadores e o COP que depende dos votos desses senhores para ser eleito. Ai, desculpa... eu disse que um treinador tinha ido passear a Pequim. Rectifico: ficou extremamente desiludido com a prestação do seu atleta que conseguiu os minimos apesar das terriveis condições em que trabalha.

master kodro disse...

Aquele que pede profissionalismo, a bold, a atletas não profissionais acha que é preciso "dotes divinatórios", como se fosse preciso, para achar que os atletas que tiveram maus resultados ficaram mais desiludidos do que qualquer outra pessoa. Pois.

master kodro disse...

De resto, as cambalhotas de Vicente Moura e os passeios de dirigentes em vez de treinadores fazem parte das péssimas condições em que os atletas trabalham, aqueles a quem, apesar de não serem atletas exclusivamente profissionais, tu exiges profissionalismo.

O mais inacreditável de tudo é que nem percebes que quando o escreves me estás a dar razão.

cparis disse...

Aquele que afirma que o atleta era profissional acha (e prova-se pelas declarações) que alguns atletas não ficaram nada desiludidos com alguns resultados.

Já agora, a diferença entre nós, é que eu acho que um atleta profissional merece que a estrutura profissional (já me vais escrever que 2 milhões de euros para o COP eram feijões e blá, blá blá) o tratasse como tal.
Um atleta profissional tem (devia ter) uma assessoria de imagem que não pode ficar reservada para os profissionais do COP. Mas enquanto houver pessoas como tu que acham que os atletas são coitadinhos, há sempre uns profissionais do COP que se aproveitam e os tratam como tal.
Eu prefiro chamar-lhes de profissionais para ver se eles percebem a responsabilidade que têm e ver se aprendem com isso. O COP prefere tratá-los como putos e mandá-los para casa. Tu, pareces gostar de os(*) tratar como coitadinhos.

(*)Excepto Telma Monteiro e Vanessa Fernandes, as duas únicas atletas que mereceram críticas tuas.

master kodro disse...

As críticas foram por declarações, umas sobre arbitragem (algo que não pratico) e por declarações sobre outros atletas (algo de que Vanessa Fernandes já se desculpou, porque pelos vistos não foram mesmo bem recebidas).

Se achas que os atletas que tiveram maus resultados não ficaram desiludidos e se continuas a escrever "atletas profissionais", não vale a pena ter mais conversas.