segunda-feira, julho 28, 2008

Os candidatos

1. Aparentemente, o pessoal que insere textos no site da TVI está proibido de ver as emissões da concorrência. É o que se conclui, pelo menos, quando o segundo parágrafo relativo ao Sporting x Benfica de ontem à noite começa assim: "De acordo com a Agência Lusa, as equipas não criaram oportunidades na primeira metade do jogo". Para a TVI Online, "o Sporting venceu o Troféu do Guadiana, depois de ter goleado o Benfica por 2-0". Se isto é uma goleada, gostava de saber o que é uma vitória tangencial. Será por 2 a 2?

2. Indo ao que interessa: o plantel do Sporting tem claramente mais e melhores soluções; salvo circunstâncias excepcionais [private joke] não vai repetir-se a carência de qualidade no ataque que marcou a época passada; Rochemback tem tudo para elevar a equipa a patamares de rendimento superiores. No entanto, o Sporting continua a jogar muito mau futebol e a apresentar momentos defensivos preocupantes.

3. No Benfica, não se percebe para que servem duzentos médios-centros quando o treinador dá mostras de só ter o 442 clássico em mente. Enfim, o melhor director-desportivo que o mundo já conheceu saberá com certeza o que anda a fazer. De resto, basta dizer que toda a gente está à espera de Sidnei, um central de 19 anos, para perceber se a defesa é um desastre ou apenas medíocre.

4. Voltando ao Sporting, aproveito para me juntar aos que pedem a retirada da braçadeira de capitão a João Moutinho. Não por querer ir embora, mas por usar os jornais para chantagear quem lhe paga. Os jogadores não percebem - e o presidente da FIFA não quer perceber - que comportamentos destes vão conduzir inevitavelmente a um cenário de salários mais baixos. Porque nenhum clube está disposto a investir sem a certeza de obter retorno desportivo do investimento. O que o presidente da FIFA também não percebe, quando protege coitadinhos como Cristiano Ronaldo, é que os adeptos de futebol amam os clubes em primeiro lugar, o jogo a seguir e só depois os jogadores. Os campeonatos distritais - ver liga dos últimos - são a prova desta realidade. Portanto, Blatter e outros como ele deviam preocupar-se em proteger os clubes - todos - e não apenas um bando de empresários duvidosos, craques mercenários e a minoria de emblemas endinheirados.

5. Estas coisas provavelmente não querem dizer nada, mas alguém se lembra em que ano o FC Porto tinha perdido pela última vez o jogo de apresentação aos sócios?

kovacevic

3 comentários:

Pedro Reis disse...

como é que um jogador com a qualidade do Daniel Carvalho é emprestado pelo CSKA ao Internacional de Porto Alegre? Não há nenhum dos 3 clubes ditos grandes em Portugal que o consiga trazer? A começar pelo meu FCP que tanta falta de extremos tem?

Da Rocha disse...

... mas também não ia ser o Daniel Carvalho que ia fazer de extremo, atenção a isso. E depois: o Carvalho acertou com o CSKA que renovava o contrato se voltasse cinco meses para ajudar o Inter, o clube do seu coração. Estava com "sódades".

Pedro Reis disse...

A caminho da Naval e não dizias nada a ninguém?

http://www.ojogo.pt/24-159/artigo737120.asp