quarta-feira, julho 30, 2008

Com o devido respeito

Maradona em A Causa Foi Modificada:

"A propósito do caso João Moutinho, ouvi há pouco o David Borges (pessoa por quem possuo imensa consideração, facto que o deixará naturalmente orgulhoso) a queixar-se da falta de limites ao "mercado selvagem" que neste momento, segundo a sua análise, domina o futebol. Não percebo como se pode dizer uma merda destas. A Direcção do Sporting (da SAD, do Clube ou da puta que os pariu), Pedro Barbosa e Paulo Bento estão na posse de todos os instrumentos e mais alguns para mostrar a si mesmos, ao mundo e, especialmente, a João Moutinho e ao seu empresário, que existem regulamentos e leis a que todas as partes estão obrigadas a dar vassalagem, e que isto está de facto muito longe de ser um "mercado selvagem" onde a presença ou ausência de dinheiro molda a seu belo prazer o sentido de qualquer contrato. Porque, de facto, se o Sporting aceitar ter este ano uma equipa mais fraca do que planeava, pode perfeitamente encostar o João Moutinho à condição de não convocado até que ele, em conferência de imprensa às 8 da noite, peça desculpa ao Sporting e aos sportinguistas por, aproveitando as públicas dificuldades financeiras do clube, ter querido forçar uma transferência em condições muito abaixo das que ficaram expressas no contrato que ele próprio assinou com o Sporting aqui há meia duzia de meses. A direcção do Sporting, Pedro Barbosa e Paulo Bento precisam, neste momento, do apoio e compreensão de todos os adeptos. Porque se eles dobrarem perante a chatagem desta aventesma microscópica será porque têm medo de nós. Não somos nem nunca fomos um clube de vitórias, não me fodam. Mais segundo lugar menos segundo lugar, o que é essa merda para o Sporting? Mas temos agora uma hipótese de ouro para fodermos alguém, em vez de sermos enrabados como sempre fomos (Futre, Figo): temos a oportunidade única de foder a carreira inteira a uma amiba excrementosa, de o encostar à condição de adubador do relvado da Academia durante a semana e a intermináveis fins-de-semana "com a familia" para resolver todos os "problemas pessoais" que lhe surjam, aqui à superficie da terra e até à estratosfera, e mesmo assim estou certo que ainda lhe sobrará tempo para dar consulta familiar externa aos habitantes do municipio de alcochete, pois são cinco os anos que lhe restam de contrato com o clube do Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Diz David Borges que este caso do João Moutinho é a prova de que já não há, como supostamente antigamente existia, jogadores dedicados de coração e alma "a um emblema". Duvido muito desta narrativa, mas pode ser que isto possa ser dito assim. Mas o que também sei, e de análise segura, caralhos ma'fodam, é que o Presidente do Sporting, Filipe Soares Franco, o director desportivo, Pedro Barbosa, o treinador Paulo Bento, e os adeptos sportinguistas, têm neste momento entre os seus colhões (que é preciso te-los) a suprema oportunidade de demonstrar que esse é um mal que só atinge os jogadores, e que daí para cima ninguém se deixa corromper pela cor vil do dinheiro, e que a camisola do Sporting vale mais, muito mais, que qualquer vitória, qualquer ida à Champions, ou que qualquer Campeonato"

16 comentários:

Virgílio Bernardino disse...

Xiça! Que este maradona é msm craque!!!

Bom, os termos são um bocado fortes, diria que até violentos, mas não andou cá com meias tintas, chamou os bois pelos nomes, mandous às malvas o "politicamente correcto" e disse o que vai na alma da grande maioria de sócios e adeptos leoninos. Eu incluido!

SL!

ratogoleador disse...

O problema é tentar ver as coisas como adeptos, agora imaginem a situação como funcionários de uma qualquer empresa mesmo tento assinando um contrato por x anos, resolvem (e nem interessa as razões) querer sair.
Que achavam de o patrão obrigar-vos a ficar na mesma, com que vontade o iriam fazer?

É o mal de ver as coisas como adeptos, quando no vosso trabalho as coisas são diferentes.

Qualquer um de vós sabendo que existia uma proposta que triplicava o vosso ordenado nem hesitaria e mandava o amor à camisola, às favas é assim é a lei do mercado.

ratogoleador disse...

O problema é tentar ver as coisas como adeptos, agora imaginem a situação como funcionários de uma qualquer empresa mesmo tento assinando um contrato por x anos, resolvem (e nem interessa as razões) querer sair.
Que achavam de o patrão obrigar-vos a ficar na mesma, com que vontade o iriam fazer?

É o mal de ver as coisas como adeptos, quando no vosso trabalho as coisas são diferentes.

Qualquer um de vós sabendo que existia uma proposta que triplicava o vosso ordenado nem hesitaria e mandava o amor à camisola, às favas é assim é a lei do mercado.

Mr. Shankly disse...

maradona é grande!

naked sniper disse...

rato goleador,

não é assim tão linear

o Moutinho renovou o contrato há pouco tempo e é o mais bem pago so sporting

o sporting deixa-o sair, e até foi fixado, de mútuo acordo, um valor para isso no contrato.

se o sporting lhe paga o q está fixado no contrato, porque raio haverá de o deixar sair por um valor inferior ao q está definido no contrato?

ou se o sporting lhe pagasse, em vez dos 100 mil euros, apenas 60 mil "por razões pessoais", ele também deveria aceitar isso?

não, ia exigir o cumprimento do contrato.

se ele tivesse mau rendimento e o sporting o quisesse dispensar [lembrem-se do caso Afonso Martins], ele também aceitaria ir de mãos a abanar ou exigiria tudo o que estava no contrato?

pois é, os contratos prevêem não só direitos, mas também obrigações

João Pedro Silva disse...

Não subscrevo os termos, mas subscrevo na íntegra o teor da mensagem.

Quanto ao ratogoleador, não sei se é funcionário de alguma empresa mas se for, saberá que os contratos são para cumprir, em qualquer empresa e em qualquer mercado que se preze.

E como no futebol, os contratos com as empresas têm regras para ser rescindidos. Num comum contrato de trabalho, o trabalhador é obrigado a um determinado pré-aviso de rescisão, ou então indemniza a empresa, de acordo com a Lei geral do Trabalho.

No caso de João Moutinho não é diferente. Ou ele larga o caroço definido pela cláusula de rescisão(25 M€), ou cumpre o contrato até ao fim.

Já agora, a cláusula de rescisão destina-se a ser exercida pelo futebolista, que foi quem outorgou o contrato, e não por um qualquer clube externo que o deseje contratar.

No dia em que os contrato deixarem de ser respeitados, aí sim estaremos entregues à selvajaria.

Chester disse...

HapiBlogging to you my friend! Have a nice day!

Jorge disse...

Ou nao tenho a informacao toda ou o nivel de alfabetizacao em Portugal e preocupante.
"O Sporting sabe a minha vontade e já a transmiti. A minha vontade, pelas razões que tenho, é poder sair"
"Tenho esperança que haja acordo e que possa haver uma boa solução para ambas as partes"
Aonde e que o Moutinho sugeriu uma quebra de acordo unilateral?
Ele assinou um contrato em determinadas condicoes, as condicoes mudaram e ele gostaria de mudar a sua situacao, comunicou a sua posicao ao Sporting e depois aos adeptos do Sporting. Fe-lo de uma forma honesta e perfeitamente legitima. Nao vejo grande mal nisso.
Quanto ao exemplo do sniper, se o Sporting deixar de querer o Moutinho nao tenho duvidas que o tenta despejar para outra equipa, ou po-lo a treinar sozinho ou com os juniores ate que ele aceite uma mudanca de condicoes.

galvao99 disse...

Caralhos ma fodam se não és o maior prosador da lingua Portuguesa pós-moderno-avant-gardista-proxenetista!

Bem hajas, maradona! És o maior!

master kodro disse...

Completamente de acordo. Então se tivesse uma adenda a chamar pêlo do cu eriçado ao Caneira, que rescindiu com o Sporting para jogar no Alverca de Luís Filipe Vieira, e agora é recebido de braços abertos, melhor ainda.

Filipe disse...

Pois é, mas os argumentos que o Dias Ferreira usou no caso Miguel funcionariam na perfeição neste caso. Então se o Sporting começasse a encostar o jogador arriscar-se-ia a levar muito menos que os 15 milhões que lhe ofereceram.

O Sporting neste caso tem que agir com cautela, e está a fazê-lo.

Pedro Reis disse...

O Dias Ferreira devia ser o último a falar deste caso.
Mas como palhaço chico-esperto declarado que é, veio logo "deitar sentença".
Não há paciência para estas personagens à volta do futebol, que só se querem servir dele para se promoverem. E isto é obviamente igual para todos tenho cor verde, azul, vermelho ou aos quadrados pretos e brancos (lol)!

Quanto à ideia do Maradona é excelente, mas acredito que neste caso as posições vão voltar a equilibrar-se e o João Moutinho vai continuar (a render) de verde-e-branco vestido.

Helder disse...

Parece-me que, ou eu passei ao lado do assunto, ou então, se está a discutir apêndices em vez do principal. Sou sportinguista, e em toda esta questão, só me incomodou uma coisa: o facto do João Moutinho não ter pelos vistos, percebido a importância que tinha e tem para os adeptos. Ele é o nosso capitão, é aquele (que embora sem nunca o ter pedido) que nós apontamos como exemplo, é aquele que de certa forma encarnava o romantismo que os adeptos gostam e nos redimia de algumas "fugas" antigas de outros ex-ídolos. Eu acho muitíssimo bem que ele queira ir ganhar mais (até eu quero). Só me chocou o facto de ele não se ter coibido, de tratar do assunto com os jornalistas à mistura. Se quer sair, trata de tudo com o seu empresário e com os nossos dirigentes. Ele sabe muito bem que para nós nunca foi apenas "mais um jogador". Por isso penso que nos devia esse respeito, de tratar tudo com diplomacia e sem nos esfregar na cara que quer sair. Alguns dirão que eu estou a querer que ele tivesse sido hipócrita. A isso respondo que apenas gostaria que ele tivesse tido mais noção do que representa para nós, e nos tivesse poupado ao desgosto daquelas palavras.
P.S. um pormenor que poucos falam, e em que reparei: os jornais desse dia, dizem que foi Moutinho que chamou os jornalistas para falar do assunto. Nem sequer vinha a propósito pelos vistos, daí, tudo isto doer para os sportinguistas, já que cheira claramente a "forçar a barra para sair". Concluindo, não lhe levo nada mal ele querer sair e saindo mesmo já este ano, só lhe levo a mal a forma como decidiu fazer as coisas. Esperava melhor dele.
Cumprimentos

Pedro Reis disse...

É engraçado como o distanciamento clubístico (eu sou portista) nos faz ver estas coisas de uma forma diferente. Eu sinceramente acho e digo-o sem hipocrisias que gostava de ver esta história "endireitar-se" e que o JM continuasse no SCP porque o considero um símbolo "lagarto"! Rivalidades e interesses clubísticos à parte!

P.S. Quando o Bicho teve que sair do FCP para o Charlton, por causa de um episódio de pseudo-desrespeito pela braçadeira de capitão fiquei triste. O lugar dele era no FCP assim como o do JM é no SCP.

Zé Luís disse...

Assim é que se fala, caralho! Viva Maradona, viva Zapata!

Mas o MK é que sabe meter o colhão na virilha.

É giro que alguns achem o João Moutinho muito querido por todos. Decerto menos por aqueles a quem ele atirou a camisola no final de um jogo, quando toda a equipa era uma merda aí por Janeiros, e a bancada devolveu-a. Moutinho sabe o que é a reacção fodida dos adeptos. Mas estes fazem de conta que tá tudo porreiro, pá. Tá o caralho!

nelson_oliveira16 disse...

Aqui o zé luis é que tocou na ferida...
O Moutinho tem cá uma paciência, depois de os adeptos terem rejeitado a camisola dele, ele ainda a foi atirar outra vez.
Deixem lá o moço apanhar novos ares porque, como o Everton é um calvário para jogadores tugas, ele volta em dois ou três anos...